O JATOBÁ Maurilia Freitas

 
Quantas saudades que tenho
Do meu querido sertão,
Da minha casa de barro
E o assoalho de chão.

Da saracura brejeira,
Do canto do sabiá,
Do inhambu gritando
Debaixo do jatobá.
(...)
As crianças de hoje em dia
Têm tudo em suas mãos,
Mas não são tão felizes
Como éramos no sertão.
 
Voltar