Alvaro Augusto Lopes

 
Nasceu em Florianopolis. Seu pai, Roberto Augusto Lopes, poeta e jornalista, foi o fundador do “Sul Americano”, tradicional órgão de imprensa catarinense. Ãlvaro ausentou-se de sua terra desde 1905. Em Santos onde residiu é festejado poeta, tendo sido redator de “A Tribuna” e Secretário da Prefeitura Municipal.

Poemas & Poesias

+ NATAL DA SAUDADE

Meu Natal de menino-adolescente,
Menino ingênuo e sonhador,
Traze-me, nesta hora, o teu aroma rescendente
Como o perfume duma flor...
Quero evocar essa época da infância,
Em que tudo para mim se revestia
De sutilíssima fragrância,
Inefável encanto e poesia...
A vida então me parecia
Mais bela, mais feliz, mais verdadeira...
Minha imaginação, como uma tecedeira,
Broslava a tela das visões da Lenda...
Com que alvoroço eu via, em cíclica romagem,
Visitar os templos, onde a doce imagem
De Jesus brilhava, à sombra duma tenda!...
Ante os presépios toscos de capim,
Ficava muitas vezes contemplando
Dos querubins o resplendente bando,
Que julgava estar sorrindo para mim...
E depois dormia, acalentado pelas
Melodias, que os anjos, numa oblata,
Faziam soar entre as estrelas
Tangendo trompas de ouro e harpas de prata...

Meu Natal de menino-adolescente,
Menino ingênuo e sonhador...
Como agora me surges diferente,
No século prosaico, estéril, corruptor...
Morta a crença, deploro as esperanças,
Que fugiram todas, como pombas mansas,
Enchendo o espaço de alvadias penas...
Permaneceram, apenas,
As desilusões, na minha desventura...

Mas com que saudades, misto de ternura
E de entranhado amor,
Eu te revejo, na época presente,
Meu Natal de menino-adolescente,
Menino ingênuo e sonhador...

Santos, SP

Voltar