Zeula Soares zeulasoares@linhalivre.net

 
 
Natural de Florianópolis/SC. Licenciada em Filosofia e Bacharel em Serviço Social pela UFSC. Atriz integrante do Grupo Armação. Autora teatral de diversos textos encenados em empresas durante a Semana de Prevenção de Acidentes do Trabalho. Escreveu e Dirigiu a peça infantil “Cala a boca já morreu”, encenada pelo Grupo Armação. Autora de textos para teatro adulto, ainda inéditos. Dirigiu: “Poesia, Luz e Som”, “Utilidade da Utopia”, com poemas dos membros do GPL, e “Balada dos Já-com-terra”, de Júlio de Queiroz, encenados pelo Grupo de Poetas Livres. Premiada diversas vezes como Melhor Atriz. Recebeu um prêmio de Melhor Direção em Festival de Teatro Relâmpago realizado pelo Café Matisse. Publicou um texto sobre Portadores de Deficiência Mental, em revista especializada, em língua alemã. Colabora, voluntariamente com a Cooperativa Social de Pais, Amigos e Portadores de Deficiência – COEPAD. Vice-Presidente do Grupo de Poetas Livres, participa de todos os seus projetos: Antologias, Viajando com Poesia, Doce Poema, Poesia na Praça e, no projeto “O escritor e sua obra” apresentou a biografia de Luiz Delfino.

Poemas & Poesias

+ ANJO AMIGO

A lua, tens no olhar.
No caminhar, o balanço.
Flutuas por todo o ar.
No coração, o amor
que preenche o vazio da vida.
Quando te vejo sorrir,
alegro-me por inteiro.
És o meu anjo amigo
de sobeja inspiração.
És poesia sentida
que dá vida à emoção.
És minha sombra querida,
meu anjo, minha vida,
sem ti eu não vivo, não!

+ BATIDA DE UM SÓ

Bate forte coração
Bate em ritmo de paixão
Bate com amor ao som de uma canção
Bate como se bate o martelo
Que prende os pregos na madeira
Bate pra valer a vida inteira
Bate e leva para o mundo
O rigor fantasioso da alegria
A dançar e a cantar sem nostalgia.

+ O GRITO

Não calo!
Digo o que sinto.
Sei do que falo.
Verdade... Mentira...
Doce ilusão!
No mundo dos homens
Os sonhos são nulos
As brigas, constantes
Amores perdidos, desilusão.
No imaginário, tudo dá certo.
O ideal é verdade,
A mentira inexiste
A felicidade é constante,
A paz está presente.
Cair na real é ver injustiça,
Guerra entre os homens,
Irmãos divididos, desolação.
Como calar ante o abismo
Que assola o mundo em vivo?
Não calo! Não posso calar!

+ POEMA

A pena e o poeta.
O poeta e a pena.
A pena que o poeta sente.
O poeta que usa da pena
Para escrever um poema.

+ QUADRINHAS

A árvore que dá bom fruto
também dá fruto ruim.
É só lembrar da história
de Eva, Abel e Caim.


Cabelos longos, anelados,
escuros, cor de azeviche,
deixas homens encantados
e presos em teu fetiche.


Sempre que lembro teu rosto
recordo perfume de flores,
da primavera, de cores
mas sinto profundo desgosto.


Escrevo assim como falo.
Faço versos de pé quebrado
Sem me importar se alguém
Vai me achar desajeitado.


Faço versos, penso alto,
Vivo num mundo profundo
Sei que ao redor, gira o mundo
De idéias, sonhos, sobressalto.


Flutuando qual um barco
nas plácidas ondas do mar
meu coração vai amando...
e não tem como parar.


Sobre as ondas da ternura
que sempre tens no olhar
meu coração se despedaça
e não cansa de te amar.


És o brilho da estrela
Em noite sem o luar
Sou a tua luz do sol
Aquecendo teu cantar

+ SAUDADE É...

Um bichinho que corrói a alma
É dor que nunca se acalma.

Saudade é chorar a um pensamento
É sorrir recordando alguém.

Saudade é viver sempre lembrando
De assuntos já passados,
De um filme apaixonante,
De um amigo que se foi
De um amor inacabado
Do perfume de quem partiu.

+ UNICIDADE

Somos um só
Complementos de uma vida.
Somos a luz que irradia.
Somos a luz, o sol e as estrelas
No firmamento.
O que fazes, também faço.
Se te moves, eu caminho.
Se cantas, eu entôo.
Se sorrio, tu gargalhas.
Se te olho, me devoras com teu olhar.
Somos um só.
Corpo e alma unidos
Pela magia do amor.

+ VOGAIS

Com a letra A, de Amor,
escrevo também Amargura.
Com o E, de Esperança,
registro a Escravidão.
Se Imaginação tem o I perfeito,
a Imbecilidade, não.
Ódio é palavra feia
escrita com O de Orvalho
que deposita nas flores
cristais de rara beleza.
Por incrível que pareça
com o U (letra sem graça)
encontrei duas palavras
que só exprimem grandeza.
Falo do Único e belo
Universo em que vivemos

Voltar