Custódio Francisco de Campos

 
 
Nasceu em São José, SC, em 12 de novembro de 1895 e faleceu em Florianópolis em 7 de fevereiro de 1969, filho de Francisco Custódio de Campos e Júlia Duarte de Campos. Latinista e germanista. Em 1914, tendo abandonado os estudos que fazia no Colégio Seráfico de Santo Antonio, em Blumenau, SC, foi nomeado escriturário do Tesouro do Estado, passando a servir em quase todo o interior como exator. Em 1919, rumou para o Rio de Janeiro, trabalhando em empresas de comércio que forneciam produtos ao governo. Advogado provisionado, retornou ao estado de origem exercendo a atividade em Curitibanos, rio do sul e Joaçaba. Por concurso, em 1935, foi nomeado lente de latim e alemão do Instituto de Educação de Lages, e em 1939 transferiu-se para o Instituto de Educação, em Florianópolis. Autor dos livros Pequena Gramática Latina e Falares Catarinenses. Tradutor público de alemão e latim, traduziu do alemão Carl Obracker a obra A contribuição alemã na formação da nacionalidade brasileira. Durante alguns anos, no Jornal A Gazeta, de Florianópolis, nas edições dominicais, manteve a coluna Ditos e Feitos (textos espécie de anedotas históricas sobre Santa Catarina) assinada com o pseudônimo Duarte de Freitas.Como jornalista fez viagem à Alemanha a convite do governo daquele país, comunicando suas impressões em conferências que realizou. Foi membro da Academia Catarinense de Letras, do Instituto Histórico e é patrono da cadeira 2 da Academia São José de Letras.

Poemas & Poesias

Voltar