Eduardo Mario Tavares

 
Nasceu em Itajaí, no dia 20 de outubro de 1919, casado com a sra. Maria de Lourdes Capela Tavares. Cursou o ginasial no Colégio D. Pedro II do Rio de Janeiro, sendo formado pela Academia do Comércio de Santa Catarina. Trabalhou como redator na agência de notícias Press Parga, do Rio, e colaborou com suas poesias na imprensa católica naquela capital. Foi o autor vitorioso da letra do belo “Hino do Centenário de Blumenau”. Editou livro de poesias. Foi Agente de Estatística nos municípios de Rio do Sul e Lages, e chefe do Serviço de Estatística da Inspetoria Regional de Santa Catarina.

MINHA DOCE TERNURA
Ternura, meu bem, existe
Em seu olhar meigo e triste,
Tranqüilo como o luar;
Nas tranças, nesses cabelos
Tão lindos, que, só por vê-los
Minh´alma põe-se a sonhar.

Ternura são seus pezinhos,
Mimosos quais dois pombinhos,
Que eu olho com devoção;
E sua boquinha pura
Reflete toda a ternura
Que lhe vai no coração.

Porém, se você, contrita,
Tão cândida, tão bonita,
O livro de rezas lê,
Os anjos de rezas lê,
Os anjos ficam parados,
Fitando-a transfigurados,
Porque a ternura é você.

Poemas & Poesias

Voltar