Francisco de Paula Marques de Carvalho

 
Francisco da Paulicéia é natural de Franca, SP, a 7 de setembro de 1826(ou 1827), filho de Francisco de Paula Marques e de D. Maria Joaquina de Jesus. Assentou praça na 1ª. Linha do Exército. Matriculou-se na Academia Militar, Rio de Janeiro. Destacado para o Batalhão de Depósito, Desterro, SC, como cadete. Deu baixa no Desterro. Professor público de primeiras letras, São Miguel, SC.
Funcionário da Repartição da Fazenda Provincial. Dedicado ao jornalismo, publicou artigos, contos, traduções e poesias nos jornais “Correio Catarinense”(1852-1854), “A Revelação”(1852-1853), “O Mensageiro”(1855-1857), “O Argos da Província de Santa Catarina(1856-1861), “Correio Oficial de Santa Catarina”(1860-1861),”O Mercantil”(1861-1869), “O Despertador”(1863-1885), “A Regeneração”(1869-1889),”O Cacique”(1870), “O Constitucional”(1870-1871),”O Conservador”(1871-1880),”Jornal do Comércio”(1880-1894), “Matraca”(1881), “Província”(1882), “Correio da Tarde”(1884), “Júpiter”(1885-1887), e “Manhã”(1886), “O Crepúsculo”(1887-1889), “O Mosquito”(1888-1889) e Gazeta do sul”(1890-1891), todos de Desterro, SC. Ofereceu diversas produções ao Imperador D. Pedro II. Sócio Efetivo da “Arcádia Brasílica. Diretor da Biblioteca Pública da Província de Santa Catarina. Membro honorário da Sociedade de Auxiliadora da Indústria Nacional e Membro da Associação Catarinense Promotora do comércio, Agricultura e Artes. Obteve patente de Alferes do 1º. Corpo de Cavalaria da Guarda Nacional(1/12/1856), de Capitão Secretário-Geral do 2º. Comando da Guarda Nacional do Desterro, São José e São Miguel(5/10/1858) e de Major Ajudante de Ordens do Comando Superior da Guarda Nacional do Desterro(26/9/1867). Deputado à Assembléia Legislativa Provincial à 17ª. Legislatura(1868-1869). Faleceu em Desterro em 26/11/1891. Fonte:Dicionário Político, 2ª. Edição revista e ampliada,1994. Organização: historiador Walter Fernando Piazza).

Poemas & Poesias

Voltar