Manoel da Silva Mafra

 
 
Nasceu à rua João Pinto, Desterro(hoje Florianópolis), em opulento berço, em 12 de outubro de 1831. A casa onde nasceu foi sede do Clube 12 de Agosto. Estudou no Seminário de São José, no Rio de Janeiro. Foi para São Paulo onde ingressou, aos 20 anos, na Faculdade de Direito. Dedicou-se ao jornalismo, dirigindo “O Mensageiro”. Iniciou a judicatura em São José, depois Desterro, peregrinando, após, por várias Províncias do Império. Foi Juiz de Direito em Paranaguá,PR, em Paracatu,PE, em Leopoldina,MG, e em Niterói,RJ. Foi Diretor de Instrução Pública. Eleito Deputado Provincial, aos 40 anos de idade e exerceu por três legislaturas(1860 a 1880). Conhecido como Conselheiro Mafra. Acompanhou as questões de limites com o Paraná. Foi Deputado Geral do Império por duas legislaturas. Assumiu a presidência da província do Espírito Santo(1878) e o Ministério da Justiça. Em 1895 aceitou o convite do governador Hercílio Luz para defender a causa de Santa Catarina na Questão de Limites com o Paraná, quando escreveu a “Exposição Histórico-Jurídica”, que, além de ser um estudo jurídico, tornou-se uma importante obra de profunda pesquisa histórica sobre as origens, desenvolvimento histórico e definição dos limites estaduais. O trabalho é baseado em documentos históricos trazidos de arquivos portugueses e é indispensável para todos aqueles que estudam as origens catarinenses.A questão de limites entre Paraná e Santa Catarina resultou em um denso volume que o Instituto Histórico e Geográfico de Santa Catarina publicou, em fac-simile. Faleceu em 11 de maio de 1907, em Niterói, RJ, antes de completar 71 anos de idade e antes da resolução da questão com o Paraná e seus restos mortais foram transladados para Florianópolis. Fonte: Palavras e Registros. Paschoal Apóstolo Pítsica. Coleção ACL 4, 1993; Boletim do IHGSC, ano I, n. 7, outubro 1998.

Poemas & Poesias

Voltar