Norberto Cândido Silveira Júnior

 
 
Silveira Júnior nasceu em Piçarras, SC, em 17 de maio de 1917 e faleceu em 3 de dezembro de 1990.Mudou-se aos três anos para o interior do município de Joinville, na localidade de Rio Branco, hoje parte do município de Guaramirim. A rigor, nunca freqüentou regularmente estabelecimento de ensino, a não ser os três anos em que esteve matriculado na Escola Mista do Núcleo Rio Branco, dirigida pelo professor Cantalício Erico Flores. Assim disse Silveira Júnior sobre si:”O professor Flores nos ensinava, não o que mandava o currículo, mas exatamente tudo aquilo que ele sabia, também aprendido aos trancos e barrancos nas chamadas escolas da vida. Mas não serei eu que irei sugerir o autodidatismo a ninguém. O autodidata é, quase sempre, um suporte auto-suficiente. Como a gente não tem ninguém pra nos orientar, aprendemos apenas aquilo que nos causa interesse ou curiosidade e paramos por nossa conta, quando nos enfaramos da matéria, ou supomos que dela já sabemos tudo. Não conheço nenhum autodidata que não seja – como eu – um colecionador de curiosidades, porque aprendemos apenas aquilo que nos agrada, sem nenhum método, sem nenhum acompanhamento pedagógico”(...) “A minha vocação para escrever vem da primeira juventude. Tinha um grande fascínio pelos jornais e uma grande admiração pelas pessoas que escreviam coisas que eu via em letras de forma. Mas em Rio Branco onde me criei, apenas os almanaques apareciam. Mesmo assim, muito cedo comecei a fazer pequenas colaborações para os diários de Florianópolis, notadamente para o Diário da Tarde, A Gazeta e o Dia e Noite”. Assim Norberto também deixou em livros sua experiência: “Vulgaridades (e coisas sérias) sobre os EE.UU”, que depois chamou-se “Um brasileiro nos EE.UU”; “Memórias de um menino pobre”; “Confissões de uma filha do século”; “Depois do Juízo Final”; “Nossa guerra contra a Alemanha”; “Mil notícias culturais”.

Poemas & Poesias

Voltar