Pedro du Bois

 
 
Nasceu em Passo Fundo, RS. Residente em Itapema, SC. Poeta e contista. Membro da Academia Itapemense de Letras e do Clube dos Escritores Piracicaba.

Escreve sistematicamente há alguns anos, com entusiasmo e criatividade, dando vida à visão a fatos e coisas que às vezes não percebemos.

Descobriu em setembro de 2001 que escrever seria o seu destino. Sua felicidade é estar no meio cultural, entre poemas e contos. Não crê em idades cronológicas impedindo a criação literária.Está certo que não consegue mais subir em árvores, mas escala montanhas com palavras dispostas em diversas passagens. Participou de antologias com poemas e contos classificados em concursos, entre os quais, o “Poema no ônibus”, na 13ª. Edição do concurso, em 2004, promovido pela Prefeitura Municipal de Porto Alegre, RS.

Edita seus livros como editor-autor (com meu auxílio na seleção e organização dos textos, quando necessário, e na confecção das capas), colocando ao alcance dos seus amigos fragmentos da sua obra. desde que saiu de Passo Fundo, há mais de 36 anos, morou em diversos lugares no Sul e no Nordeste.

Se teve a imagem de uma pátria ampla e irrestrita, também teve a sensação de ser estrangeiro entre as (des)igualdades. Através da poesia, habitando letras, pode se sentir em casa. Hoje, o estrangeiro aprendeu a se envolver com as diferenças, e os estilos se completam em diuturnas estranhezas. [Tânia Du Bois – in orelha da obra Os objetos e as coisas]

Autor de Os objetos e as coisas; Das distâncias permanentes; A leveza do traço; Os sentidos significantes; Tantas máscaras; Livro da Tânia; Jogo do nada; Verdades & mentiras; Passagem plural; A casa das gaiolas; Portas e ventos; (Des)Tempo; O nascer dos ares e dos pássaros, vol. I e II; Coleção Poeta em obras, vol. I a XI; As pessoas nominadas; Poucas palavras; A casa em procuras; A ausência inconsentida; Cotidianos; Flores & frutos; Trajeto inverso; Breves gestos; Amares; Mar aberto; A luz despossuída; A mão que escreve; A pedra descortinada; A recriação da mágica; Espaços desocupados; O poeta e as palavras; Retratos; Seres; A configuração do Acaso; A obra nua; A palavra do nome; O coletor de ruínas; A infinidade dos sons, A árvore pela raiz, e outros.

Poemas & Poesias

Voltar