Eloah Westphalen Naschenweng eloahwn@hotmail.com

 
 
Eloah Westphalen Naschenweng, natural de Jaraguá do Sul , Santa Catarina. Professora, graduada em Tecnologia em Automação de Serviços Executivos, reside em Florianópolis desde 1970. Funcionária Pública Estadual da Secretaria da Casa Civil, aposentada.
Artista Plástica faz parte do Indicador Catarinense de Artes Plásticas e como escritora e poeta foi Presidente do Grupo de Poetas Livres (gestão 2014-2018), é Neo Acadêmica da Academia de Letras e Artes de Goiás e membro da LITERARTE /Associação Internacional de Escritores e Artistas, membro fundador do Núcleo Acadêmico de Letras e Artes de Portugal e da Divine Académie Française des Arts Lettres et Culture, membrO da ALB, seccional Suiça membro Lê Cercle des Écrivains Luso-Suisse de Géneve , membro da Civil Society Europe of Phine Arts , Diretora Institucional da Academia de Letras de Palhoça/Santa Catarina, cadeira 27, patrono Luiz Delfino e Diretora Cultural da Academia de Letras de São José/Santa Catarina, cadeira 8, patrono Juvenal Melchiades de Souza.

Homenagens Recebidas:

Troféu Antonieta de Barros 2001;
Troféu Cultura Catarinense 2002;
Medalha de Mérito Funcional Alice Guilhon do Governo do Estado de SC, 2003; Medalha do Poeta, Maria Vilma Campos 2010, do Grupo de Poetas Livres;
Comenda Antonieta de Barros da Câmara Municipal de Florianópolis pelos trabalhos desenvolvidos na área da cultura,2015;
Troféu Cora Coralina recebido da Academia de Artes e Letras de Goiás,2016;
Medalha Fernando Pessoa, Prêmio de Honra e Mérito, Literarte, 2016;
Troféu Literarte Melhores do Ano 2016;
Troféu Machado de Assis recebido do Núcleo Acadêmico de Letras e Artes de Lisboa, 2017;
Comenda Barão de Ayuruoca da Associação Barão de Ayuruoca, Mar de Espanha/MG, 2017;
Comenda Barão de Cheverny, Val du Loire, França 2017;
Troféu Literarte Melhores do Ano 2017 ,
Medalha Personalidade Literarte 2017,
Certificado, medalha e troféu pelo 1ºLugar no Concurso de Poesia “ Amo Amar Você”, Petrópolis/RJ, 2018;
Certificado de Honra e Mérito e medalha da Associação Folclórica da Região de Alta Estremadura, Leiria/Portugal 2018;
Diploma e Troféu Camões do Núcleo de Letras e Artes de Portugal e Literarte, Viana do Castelo,Portugal, 2018.
Ordem de Mérito “ Os Serões” Grau Oficial, da Academia de Letras do Brasil/Secccional Suiça, 2018

Colabora com jornais, revistas , sites e blogs de poesia e é Colunista do Jornal Redescobrir:
www.jornalredescobrir.recantodasletras.com.br
Blog:www.alemdosfragmentos24x7.blogspot.com

Obras Publicadas:

Fragmentos – Florianópolis: IOESC, 2001;
Relicário – Florianópolis: Papa-Livro, 2002;
Além dos Fragmentos –São Paulo: Biblioteca 24x7-SevenSystemInternational Ltda,2010;
A Dança da Vida – E-BOOK –Florianópolis, 2012 e impressa, São Paulo: Clube de Autores ,2016;
Retalhos Poéticos – São Paulo: Clube de Autores, 2017.
Canto Solo – São Paulo: Clube de Autores, 2017
Mosaico de Sentimentos - São Paulo: Clube de Autores, 2017
Panegírico de Luiz Delfino – São Paulo: Clube de Autores, 2018
Panegírico de Juvenal Melchiades de Sousa – São Paulo: Clube de Autores, 2018


Coletâneas:

No Limíte da Palavra – Coletânea de Poesias. São Paulo: Scortecci, 2004;
Poesias, Crônicas e Contos – Primeiro Concurso Literário do Servidor Público. Florianópolis- DGAO, 2005;
Poesias, Crônicas e Contos – Segundo Concurso Literário do Servidor Público. Florianópolis- DGAO, 2006;
Poesias, Crônicas e Contos – Terceiro Concurso Literário do Servidor Público. Florianópolis- DGAO, 2007;
Os Mais Belos Poemas e Textos do Grupo de Poetas Livres. Florianópolis, 2013;
A Palavra ConVida. Blumenau- SC: Bárbara Editora, 2013;
Mangwana – Agenda 2015.Circulo de Escritores Moçambicanos na Diáspora – Lisboa – Portugal, 2015;
Antologia Zalala – Circulo de Escritores Moçambicanos na Diáspora – Lisboa –Portugal,2015;
VII Antologia de Poetas Lusófonos – Folheto/Edições e Design – Leiria –Portugal, 2015;
Metacantos 2016 –Concurso Literário Editora LiteraCidade Belém/Pará, 2015;
Garapuvu – 8ª Antologia do Grupo de Poetas Livres – Papa Livros –Florianópolis/SC, 2015;
Mangwana – Agenda 2016.Circulo de Escritores Moçambicanos na Diáspora – Lisboa – Portugal, 2016;
Perdidamente Antologia Poetas Lusófonos Contemporâneos Vol I – Grupo Multiplas Histórias – Lisboa Portugal, 2016;
Rio dos Bons Sinais – Antologia Universal Lusófona. Circulo de Escritores Moçambicanos na Diáspora – Lisboa – Portugal, 2016;
4 Estacões – Pastelaria Studios Editora – Lisboa – Portugal, 2016;
Catálogo Artistico Trilingue– Literarte, 2016;
Poemário 2017 - Pastelaria Studios Editora – Lisboa – Portugal, 2016;
Deixa-me Ser Poesia - Pastelaria Studios Editora – Lisboa – Portugal, 2017;
Sopro de Poesia – Orquídeas Edições, Lisboa – Portugal, 2017.
Perdidamente Antologia Poetas Lusófonos Contemporâneos Vol I I– Grupo Multiplas Histórias – Lisboa , Portugal, 2017
Rio dos Bons Sinais – Antologia Universal Lusófona. Circulo de Escritores Moçambicanos na Diáspora – Lisboa – Portugal, 2017.
Vozes Portuguesas – 1ª Antologia do Núcleo Acadêmico de Letras e Artes de Lisboa – Literarte, 2017
Poesia e Cores – Coletânea de Poesia Colorida- Pastelaria Studios Editora – Lisboa – Portugal, 2017.
Espalhando Palavras no Caminho da Lusofonia – Portugal Mag Edições – Paris/França, 2017
Enciclopédia Universal de Grandes Autores – Literarte/Associação Internacional de Escritores e Artistas, 2017
Telhado de Flores – Antologia Poética, Becalete , São Paulo, 2017
Paplo Neruda e Convidados - Literarte/Associação Internacional de Escritores e Artistas, 2017
Sintetizando a Vida-Grupo de Poetas Livres, 2017
Enciclopedia Bilíngue de Grandes Artistas- Literarte/Associação Internacional de Escritores e Artistas, 2017
Vozes Portuguesas – 2ª Antologia do Núcleo Acadêmico de Portugal,Viana do Castelo, Portugal/2018
Luiz Vaz de Camões e Convidados -Mágico de Oz, Rio de Janeiro/2018
Perdidamente Antologia Poetas Lusófonos Contemporâneos Vol III– Grupo Multiplas Histórias – Lisboa , Portugal, 2018
II Coletânea de Poesia Lusófona em Paris – Portugal MAG Editora – Paris, 2018
A Dança das Palavras - Pastelaria Studios Editora – Lisboa – Portugal, 2018.
Cascata de Palavras - Pastelaria Studios Editora – Lisboa – Portugal, 2018.
Poesias Imortais II– Versejar Edições Literárias - 2018




Poemas & Poesias

+ Alma Misteriosa

Alma misteriosa
Depuras viva, viçosa,
Recantos sonhadores e
Serenos sentimentos.
Sem mácula és
Delicada flor exótica –
Límpida, quase divina.

Trazes na sombria fé fecunda
O misticismo, a emoção e a alquimia.
Irrequieta liberdade
Canto e prosa
Vivendo e sangrando
Eloquente, e sempre bela.

Alma misteriosa
Tens a face do amor
Que queima e abrasa



Mas tens olhos de dor

Dragões adormecidos
Rastilhos de mágoas e
Profunda solidão.

Sem queixumes
Diluis de leve
Dolentes mistérios e
Embalas em suave soturno
Coisas que o coração derrama
No peito...e enternece.





+ AUSÊNCIA


Farei da ausência um refúgio e da dor da espera a promessa de uma beleza silenciosa.

Terei o tempo no abismo que margeia, sem movimento, sem pressa e um amor tão grande como o universo.

Ouvirei teu riso e verei o afeto escondido, esmagado e doído a transbordar desejos e inundar-se de sentimentos e sensações.

Solitária, segurarei o grito da angústia, o clamor das saudades, a poesia no coração e os sombrios pensamentos a escorrer e agigantar-se na escuridão da alma.

Aprenderei que independente do que aconteça as estações mudam, a vida se organiza, as lágrimas não são perdidas e a festa ainda está para acontecer.



+ Caminhada



Senti o manto das sombras, quase transparente a infiltrar-se nos poros da alma para explorar os recantos escorregadios dos sentimentos.

Soprei as poças iluminadas que bruxuleavam e se encolhiam, movidas pelo vento.

Ouvi o eco dos sons que flutuavam envoltos na penumbra, enfeitiçados de silêncio.

Deixei, desarmada, a luz interior margear os contornos da vida, diblar ausências, ofuscar dores para buscar reflexos mágicos e se fazer esplendor.

Vi, perplexa e lisonjeada uma história de amor sem fim acender-se, criar anteparos e teimar em ficar.

Capturei com palavras desdobradas a delicadeza e a frágil sublimidade dos sonhos que não se apagam, mas se transformam para que o tempo vá devolvendo em lembranças.

Dei a cada instante, asas sutis, pedaços de céu, pátios encantados e na solidão abracei as dores, e fiz deste abraço, paz que enlaça. Andei pelos corredores da vida e aprendi.

+ DESENCANTO

Sou campo minado, sonhos desfolhados e ferida exposta.

Na distância, a luz se extingue perdida na escuridão.
Assento no caminho e quero eternizar o efêmero que teima em me abandonar.

Visito o tempo e o vento se ergue e se espalha - a alma se dobra e o universo parece dormir no silêncio que rola.
Da ausência trago apenas o sopro da saudade.

Da tua imagem sobrou o que tenho dentro de mim.

É... meu coração que insiste em te deixar ficar.

+ MENSAGEM

Quisera escrever uma mensagem para você.
Uma mensagem, misto de carinho, misto de paixão, misto de compreensão.
Que pudesse interpretar, nem mais nem menos, meus sentimentos por você.
Quisera falar sobre espera, sobre sonhos e, esparsas, pequenas e fartas cicatrizes. E, mais ainda, falar de esplêndidas aventuras.
Falar das canções que me fazem lembrar de você e das noites calmas e solitárias em que o desejo é mais forte do que a razão.
Dos teus braços, dos teus abraços e daquele perdido momento.
Falar de sentimentos, mementos e das fulgidas saudades que o coração resiste, eternamente triste.
Quisera falar das lágrimas que já rolaram, na solidão e na escuridão da alma.
Falar de tristezas. Mas, sobretudo, de alegrias e do desejo de pertencer.
Falar da falta do que sou e que és para mim.
Falar de encanto e, porque não, das horas de desencanto, sombrio e estranho sentimento.
Do eterno tempo, não dos minutos, mas do tempo sem fim e da estranha alquimia que une almas e corações.
Falar da amizade, da sinceridade, da partilha, da persistência, da lealdade, e do que foi feito e haveremos, ainda, de fazer um pelo outro.
Enfim, falar de amor...

+ SENTIMENTO

Vens com a alma cheia de esperança.
Da vida trazes sonhos de inocência, rosas desfolhadas e a imagem do infinito.

Tens o encanto cheio de fulgor e a graça da canção eterna.

Gota cristalina, teu afago o carregas em tuas mãos cheias de caricias.

Trazes no olhar a alegria do sonho alado, a claridade das madrugadas e os intensos desejos, dispersos e insaciáveis.

Encanto-me.
Agarro-me ao tempo, me enrosco no impulso que faz do meu coração, surpresa, assombro, requinte, anseio e aspiração.

Posso sentir forte e pungente o despertar da felicidade fluindo intrépida como uma exploradora abrasada, capturando seu reino encantado.

Abro meus olhos e a felicidade ali permanece como um mantra pessoal a inundar minha alma e a enriquecer-se com a delicadeza de um sentimento pleno.



Voltar