José Luiz Amorim poetafloripa@yahoo.com.br

 
 
José Luiz Amorim nasceu em Florianópolis, SC, em 23 de maio de 1985. A inspiração para poesia iniciou-se aos 19 anos de idade. Participa do Grupo de Poetas Livres e todos seus projetos.Poesias publicadas na revista Nua, jornal A hora de Santa Catarina. É um dos poetas do elenco nos saraus literários da UFSC (SaraUfsc).

3° lugar no concurso Grandes Poetas do Orkut 2008
Tema: Deus / Poema Perdão Senhor

Classificação no concurso literário Celeiro dos Escritores 2007

Classificação no III Concurso literário Valdeck Almeida de Jesus de Poesia 2007

Poemas & Poesias

+ Perdão senhor

Pela tortura que foste submetido
Por seu ruído, seu gemido
Pelas chicotadas
E pelo sangue no seu corpo escorrido.

Perdão Senhor,
Por este mundo
Que tornamos imundo.

Perdão Senhor,
Pelos seres vivos e a natureza
Que tratamos com tanta crueza.

Perdão Senhor,
Pelos meus pecados
Que no meu íntimo
Ficam calados.

Perdão Senhor,
Pelos meus tropeços, sozinho,
E unhas e dedos que irei perder no caminho.

Perdão Senhor,
Por eu ser um pagão
E ter tomado hóstia.

Perdão Senhor,
Que a mulher que eu vivo a amar
Não possa se casar
De branco no altar.

Perdão Senhor,
Pela simbólica
Involução da Igreja Católica.

Perdão Senhor,
Por algumas de suas casas
Serem fortes como um rochedo
E um irmão não poder entrar
De bermuda e sandália de dedo.

Perdão Senhor,
Pelo meu dízimo não ser suficiente
Ao que o pastor pede.

Perdão Senhor,
Por eu viver de aluguel
E não ter sobrado dinheiro
Para comprar um terreno no céu.

Perdão Senhor,
Pela guerra
Que nunca encerra.

Perdão Senhor,
Pelo bispo e o pastor
O padre e o doutor
Que ficam a discutir sua cor.

Perdão Senhor,
Pouco me importa a sua cor
O que importa é o que fez de bom
E a sua infinita prova de amor.

Perdão Senhor,
Pelas nossas crianças
Pobres e de favelas
Que choram no dia delas.

Perdão Senhor,
Pela riqueza incondicional
Tombar a balança social.

Perdão Senhor,
Pela paz
Que já não temos mais.

Perdão Senhor,
Pelo estupro à educação
E pela seca da caridade e do amor.

Perdão Senhor,
Por muitas pessoas
Que acreditam em sua ressurreição
Não o verem como o espírito da salvação
E sim como um fantasma da assombração.

Perdão Senhor,

Pelas suas lágrimas
E por sua dor.

Perdão Senhor,

Pelas pessoas que lerem
Esta citação poética
Pensar que ela não tem
Um pingo de ética.

Autor: José Luiz Amorim


Voltar