Biase Agnesino Faraco

 
 
Nasceu em 14 de outubro de 1913 e faleceu em 20 de janeiro de 1980. Cursou Medicina na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, destacando-se como primeiro aluno da turma.
A partir de 1938, tornou-se médico do Departamento Autônomo de Saúde Pública. Foi diretor da maternidade Carmela Dutra, fundador e diretor da Faculdade de Farmácia e Odontologia e um dos fundadores da UFSC.
Na política foi deputado estadual pelo extinto PSD – Partido Social Democrático. Pouco antes de falecer dedicava-se à Clínica Geral e à própria UFSC, como professor do Departamento de Microbiologia e Parasitologia e prestava assistência médica à comunidade da Paróquia São Luiz, no bairro da Agronômica.
Lançou livro de poemas, cuja poesia estampamos:

Poemas & Poesias

+ SANTA CATARINA

Barrigas-verdes, todos nós, por certo,
Amamos nossa terra estremecida,
Orgulhosos da imagem colorida
De um zimbório de glórias recoberto.
Que lindo céu... Que plano azul deserto...
Nele o sol passa, abençoando a lida
Dos filhos desta terra tão querida,
A quem também um grande amor oferto.

As verdes brenhas, a elevada serra
Selam o coração de nossa terra.
Na costa nívea o vasto mar encanta.

Tantos adornos, dotes tão garbosos
E nós bem nos sentimos orgulhosos
Por sermos filhos desta terra santa.

Que fazes rebentar da terra ressequida
A florida expressão de rosa estremecida
Num’haste que começa agora a florescer...

E tu vida, que já antes de seres minhas,
Te consumiste em chama, espírito de graça,
Transformação genial de fera em andorinha...

És a essência que anima esta figura airosa!
Assim como o perfume, a cor que a alma adelgaça
O crepúsculo em flor dum astro ou duma rosa!

Voltar