Ernani Rosas

 
 
Ernani Salomão Rosas Ribeiro d’Almeida, nasceu em Desterro a 31 de março de 1886, filho de Oscar Rosas e Julieta Escobar Rosas. Com três anos de idade, transfere-se com a família para o rio de Janeiro, onde estuda as primeiras letras.
Seu pai, Oscar Rosas, era poeta e jornalista profissional. Vivendo num ambiente em que a literatura era bem familiar, cedo Ernani revelou vocação pela poesia e desde então passa a viver exclusivamente para esse propósito.
Cruz e Sousa foi sua primeira revelação literária. Amigo de seu pai desde a província e com quem mais tarde, no Rio, haveria de formar o primeiro grupo de novos poetas a defenderem as idéias simbolistas.
O contato direto com Cruz e Sousa marcou-lhe profundamente os primeiros passos literários que chegou a usar o pseudônimo de Rictos da Cruz, quando da publicação do seu primeiro trabalho, o folheto “Certa Lenda Numa Tarde”. Escreve continuamente. Não tem outra ocupação a não ser a poesia, nem tampouco aceita outra forma de existência.

Poemas & Poesias

+ Ó NOITES DE LUAR

Ó noites de Luar! Prenúncios d’Além vida...
Ó céu espiritual! Ó cósmico viver!...
Quem nunca viajou e, num dia lá for ter,
Dirá que não viveu a vida já vivida...

Ó força natural! Ó mágico poder!
Que fazes rebentar da terra ressequida
A florida expressão de rosa estremecida
Num’haste que começa agora a florescer...

E tu vida, que já antes de seres minhas,
Te consumiste em chama, espírito de graça,
Transformação genial de fera em andorinha...

És a essência que anima esta figura airosa!
Assim como o perfume, a cor que a alma adelgaça
O crepúsculo em flor dum astro ou duma rosa!

Voltar